Era uma vez…

Tem resumo no fim, pros preguiçosos.

Tudo começou há três semanas atrás quando decidi ir ao Porão. Na saída, me entregaram um papel escrito: 2Ois + Supercombo e bandas #aquelastour, dia 8 de Abril, no Porão.

2Ois é uma das bandas brasileiras que eu mais gosto, então, obviamente eu iria ao show. Esperei ansiosamente duas semanas e eis que ontem, dia 8 de Abril, chegou o tão aguardado dia. Fui pra escola, depois fui fazer compras com a Bruna e ao cinema com o Lucas assistir “Uma Manhã Gloriosa”. À propósito, o filme é bom. Pena que perdi o fim. Enfim, a sessão terminou às 17h00 e o show começaria às 18h, mas eu precisava vir pra casa deixar minha mochila e tomar um banho. Eu e o Lucas corremos igual à duas gazelas pro ponto de ônibus – com medo de sermos assaltados, porque a coisa lá perto da escola tá perigosa – e conseguimos pegar o ônibus das 17h10, acho. Cheguei em casa 17h30 e como tinha combinado de encontrar a Jéssica, a Bruna e o Vinícius às 18h30, daria tempo de tomar um banho e sair de novo. Assim o fiz, cheguei na Cerqueira César (em frente ao porão) às 18h20 e me sentei nas escadas em frente ao “Tempero Maneiro”, um restaurante que tem lá, esperando os três. No papel, dizia que o show começaria às 18h, mas não tinha movimento nenhum, só o do povo que havia acabado de sair da escola. O Vinícius chegou primeiro e depois as duas meliantes chegaram, e nada de movimento ainda. O show atrasou TRÊS HORAS, sem exagero nenhum, TRÊS HORAS. Já eram 21h e alguns minutos quando nós entramos. Meu último ônibus passaria às 23h25 e minha mãe não poderia ir me buscar, então eu devia sair do porão às 23h20 e atravessar a rua pra não correr o risco de perder o ônibus e ficar lá até às 05h10, sozinha.

Como eram três bandas antes do Supercombo + 2Ois, eu tinha esperança de que até às 23h10, pelo menos, o show acabaria. Me enganei. Eram 23h10 e só tinham tocado duas bandas ainda, faltava uma, pra depois tocar Supercombo e 2Ois, as bandas que EU queria ver, que eu MERECIA ver.

Coloquei o celular no bolso e perdi a noção do tempo. Quando olhei de novo, já eram 00h10. Eu entrei em desespero e mandei sms pra minha prima, pedindo pra ela ver se passava mais algum ônibus, mas ela estava no hospital com meu priminho e eu não sabia disso. Daí liguei pra ela, mas liguei errado, liguei pra um cara que tava no pagode e bêbado, enfim.

Saí do Porão e não vi o show, nem do 2Ois, nem do Supercombo. Nisso, meu nível de ódio já estava em 90% porque minha mãe não parava de ligar, eu tinha gasto 12 reais à toa (porque não vi as bandas que eu queria ver) e tava sozinha no ponto de ônibus. Sozinha assim, sem companhia, porque na rua ainda tinha um monte de gente que tava no porão, mas do lado de fora, fumando.

Daí sentei lá na mesma escada esperando uma luz, mas tudo que apareceu foi um mendigo que sentou do meu lado e começou à me dar lição de moral, falando que eu era nova demais pra estar na rua aquela hora, que se ele quisesse, ele podia me roubar, mas não o fez porque ele sentiu o meu desespero. Foi aí que eu vi um carro virando a esquina e passando bem reto e era minha tia, que tava indo pro hospital São Paulo (na Emergência) ver o neto dela. Daí eu pedi pra ela me trazer até em casa, mas ela enrolou no hospital e eu cheguei em casa quase 02h00. Nisso, minha mãe já estava com a bandeja, só esperando pra me matar, colocar na bandeja e colocar uma maçã na minha boca, assim:

Ok, na verdade, não. Mas ela já estava muito puta comigo. Eu entrei, brinquei com a minha cachorrinha, entrei no meu quarto pra pegar minha toalha e quando eu virei de costas, minha mãe tava em pé na porta.

Ela só me olhou com sangue nos olhos e disse:

– Você não vai mais dormir na casa da Bruna amanhã, nem ir mais nesse porão, nem que Jesus Cristo apareça lá, e não vai ligar o computador hoje. Você vai tomar banho e ir dormir.

Assim o fiz, mas antes eu entrei no Twitter porque comigo é assim: gosto de desafiar o perigo. Mandei DM pro Lucas contando o que havia acontecido e fui dormir. Hoje de manhã, acordei cedo e mandei sms pra Bruna dizendo que não poderia mais ir e avisando que depois devolvia o dinheiro dela. Longa história, que eu contarei em outro post.

Então tomei banho e fui levar minha cachorra no Petshop, e na volta, minha vó me avisa que íamos todos pro hospital ver meu priminho de novo porque ele tinha ido pra UTI. Daí eu cheguei lá e minha prima tava se descabelando, meu priminho numa espécie de cabaninha de oxigênio e o pai do Vítor (meu primo) chorando no canto de lá, porque a mãe dele TAMBÉM tava internada. Ô família, viu!

E agora tô aqui contando minha experiência traumatizante pra vocês e querendo que a sexta-feira seja expulsa do calendário, porque toda sexta-feira tem uma tragédia na minha vida.

Resumo: Paguei 12 reais pra ver a banda 2Ois e o Supercombo, não assisti aos shows que eu queria ter assistido, perdi o último ônibus que passaria, cheguei em casa mais de 02h00, sendo que eu estava na rua desde às 06h10, tirando o fato de que voltei pra casa pra deixar a mochila e tomar um banho, minha mãe não tá olhando na minha cara e eu tô de castigo, depois de 2 anos.

E assim termina mais um capítulo da minha história fodida de vida. Vejo vocês no próximo post, xx.

Anúncios

Uma resposta em “Era uma vez…

  1. Pingback: 4 anos. |

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s