Filmes, Disney e… lágrimas.

Olá meus amigos, eu gostaria de pedir desculpas mais uma vez por postar à essa hora, mas é que mais tardar, irei ao shopping com o meu amigo e nós temos planos de assistir três filmes, então decidi que o assunto do post dessa segunda-feira animada (uh) será esse: filmes.

Sou uma grande amante dos mesmos, principalmente dos filmes da Disney. Quando eu falo Disney, não quero dizer Hannah Montana, nem High School Musical, quero dizer Rei Leão, A Bela e a Fera, A Bela Adormecida… Os clássicos, amigos. Os clássicos. Tive um fim de semana bem bebê mesmo, porque fiquei jogada no sofá, embaixo de um edredom, assistindo filmes da Disney, e… chorando. Sim, chorando.

HAHAHA NOSSA QUE BABACA ELA AINDA CHORA VENDO FILMES DA DISNEY KKK ISSO PQ ELA JÁ VAI PRESTAR VESTIBULAR ESSE ANO E ETC APOSTO QUE ESSA BESTA AINDA ACREDITA EM CONTOS DE FADAS E PAPAI NOEL. DEZESSETE ANOS NAS COSTAS E CHORA VENDO DESENHO DA DISNEY PQP MENINA SE MATA

Sei que esse foi o pensamento de vocês ao lerem isso, mas, sim, eu ainda choro vendo filmes da Disney e acredito em contos de fada. Papai noel não. E por mais velha que eu seja, isso não tirará minha sensibílidade. Eu posso estar com 40 anos e sempre vou chorar assistindo filmes da Disney.

Vou deixar meu amor pelas animações da Disney e avaliar algumas delas, prontos? Escolhi minhas três favoritas, e as três que eu mais choro assistindo, tá?

Rei Leão: Como todos sabem – ou deveriam saber -, Rei Leão se trata da história de um leão (jura?) chamado Mufasa e que tem um irmão chamado Scar. Mufasa é o rei da África, e por isso, despertou o ódio em Scar. Mufasa tem um filhote, Simba, que, por ordem natural das coisas, seria o futuro rei. Scar então, muito punk com toda essa situação, resolve tramar um plano com suas amigas hienas para matar Mufasa e Simba, e assim, assumir o lugar, que na cabeça dele, deveria ser dele desde que ele nasceu. Então diz para Simba que há um cemitério de elefantes que ele jamais deveria ir, e todos sabemos como é curiosidade de “criança”, né? O Simba então, vai ao cemitério com a sua amiga Nala e é atacado pelas hienas, mas é salvo pelo pai, Mufasa, que aparece no cemitério depois que Zazu – o mordomo – o avisa, e ele então, ameaça as hienas. A primeira tentativa de Scar matar Simba falhou, mas acho que Scar era brasileiro e não desistia nunca, porque teve a ideia de levar Simba para o estiradeiro e faz com que as hienas causem uma debandada, atacando os animais que eu esqueci o nome. O Simba corre e se pendura numa árvore, e Scar corre para avisar Mufasa da debandada, então o Mufasa corre pro lugar em que Simba está e tenta salvar o filho. E consegue, mas os animais o arrastam e quando ele finalmente consegue se salvar, Scar solta as patas de Mufasa, fazendo com que ele caia e morra, e nisso, Simba aparece gritando “não”…

Agora digam-me amigos: QUE TIPO DE PESSOA NÃO CHORARIA VENDO UM FILHOTE DE LEÃO, TODO FOFO E APERTÁVEL, VENDO SEU PAI MORRER? Só um desalmado mesmo.

Vocês podem ver o vídeo clicando aqui, porque teóricamente, ficou meio que… bem, não dá pra chorar só lendo, vocês têm que ver. Triste, né? Para saber o resto da história, vocês tem que assistir. Ou assistir novamente, como é o caso de alguns. E como se não bastasse chorar na parte em que Mufasa morre, também choro na parte em que o Simba diz:

Você disse que estaria sempre aí pra mim, mas não está. E por minha culpa. Minha culpa…

E também no diálogo, logo após a confusão com as hienas, antes da morte de Mufasa, óbvio:

Mufasa: – Simba, estou decepcionado com você.

Simba: – Eu sei.

Mufasa: – Poderia ter morrido. Acabou me desobedecendo, e o pior, pôs Nala em perigo.

Simba: – Eu só quis ser valente como você.

Mufasa: – Só sou valente quando é preciso ser. Simba, ser valente, não quer dizer se meter em apuros.

Simba: – Mas você nunca tem medo de nada.

Mufasa: – Eu tive hoje.

Simba: – Teve?

Mufasa: – Sim. Achei que ia perder você.

Era uma vez uma @pizzadepistache, né? Resumindo a ópera: choro do início ao fim em Rei Leão I.

O Cão E A Raposa: O Cão E A Raposa é menos conhecido do que Rei Leão, entretanto, é tão triste quanto tal. O Cão E A Raposa conta a história de um raposo que foi abandonado pela mãe – que morreu segundos depois – em uma fazenda. Vendo o raposo abandonado, a mamãe Coruja reune seus amigos e dá um jeito de fazer com que a senhora – que eu esqueci o nome, acho que é Sarah Tweed – que mora numa casa próxima, encontre a raposa e cuide dela. E o plano deu certo. Tod (a raposa) cresceu por ali e tornou-se amigo de um cão de caça, que mais tardar, teria como função, matar Tod, por ele ser uma raposa. Eles tornam-se amigos e depois de um tempo, o dono de Tobby ensina-o a caçar raposas. Por conta disso, Tobby torna-se “inimigo” de Tod. Então, depois de uma série de acontecimentos, a senhora resolve libertar Tod para que ele não crie mais problemas, e enquanto o leva para a floresta, diz: “Parece que foi ontem que eu o encontrei. Você me olhou e eu o amparei, e da sua tristeza, nossa alegria nasceu, e a sua presença, nova vida me deu. Eu me lembro de quando nós brincamos, também me lembro de quando chovia, do calor da chama que nos aquecia… E agora vejo que ficamos sós. É triste a despedida, adeus, parece o fim, mas guardarei para sempre você, em meu coração.”

É praticamente impossível não chorar vendo isso, né?

A Bela Adormecida: Conta a história de uma princesa que tem três fadas como madrinhas e as mesmas têm que conceder à princesa, três desejos. Mas não me perguntem quais são os desejos, porque eu esqueci. Então, quando duas delas concedem seus desejos, a rainha malvada (ela parece com uma rainha ok PAREM DE ME CRITICAR) aparece e diz que, ao completar 16 anos, a princesa espetará o dedo no fuso de uma roca e morrerá. Todos choram. Literalmente. Então, assim que a rainha má se vai, a terceira fada boazinha diz que não tem como reverter o feitiço realizado pela rainha, mas que a menina não morrerá, apenas dormirá, e que só despertará quando receber o primeiro beijo de amor. Meloso demais, até então. O rei manda destruir todos as rocas ou objetos com pontas que pudessem espetar a menina. Dezesseis anos mais tarde, no dia de seu aniversário, a menina espeta o dedo numa única roca que havia sobrado no Castelo e todos dormem. Depois de alguns acontecimentos, Felipe chega ao reino e beija a princesa. Então os dois se casam, todos acordam e os dois são felizes para sempre, e vale ressaltar que, em seu casamento, eles dançam essa música aqui, QUE É UMA DAS MAIS LINDAS JÁ OUVIDAS POR MIM. Sempre choro nessa parte. Também, deveras né, quem não chora ouvindo isso: “Foi você, o sonho bonito que eu sonhei, foi você, eu lembro tão bem, você na linda visão que me fez sentir que o meu amor nasceu então, e aqui está você, somente você, a mesma visão, aquela do sonho que eu sonhei.” é um monstro.

Sei lá, talvez nem seja um monstro, talvez eu seja sensível demais… talvez eu só acredite em conto de fadas e espero pelo príncipe da minha vida, que chegará em um cavalo branco e me levará para viver num castelo e eu finalmente serei feliz para sempre, e choro por saber que na realidade, isso nunca vai acontecer. E essa é mais uma das minhas expectativas frustradas. Quarta-feira faço um post sobre músicas ou qualquer outra coisa  que me faça chorar, tá? Tô magoada essa semana. Preparem seus botes salva-vidas, rs. Mas, enquanto quarta-feira não chega, eu quero saber de vocês: Qual é o filme da Disney – não vale High School Musical, nem Hannah Montana – que mais te faz chorar? Deixem as respostas nos comentários. Vejo vocês na quarta, xx.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s